quarta-feira, 16 de março de 2016

ENDOMETRIOSE INTESTINAL: RETOSSIGMOIDE - PARTE 1!

Em mais um texto autoral, o doutor Alysson Zanatta traz, numa linguagem simples e de fácil entendimento, o que precisamos saber sobre a endometriose de retossigmoide, um tipo de endometriose intestinal. Para prender a atenção de todas, dividi o texto em duas partes. Na primeira parte, o doutor Alysson explica o que é, quais os sintomas (mas muitas vezes eles são inexistentes), se este tipo de endometriose causa obstrução ou perfuração do intestino e fala também de um assunto polêmico: a endometriose intestinal vira câncer? Muito obrigada doutor Alysson, seus textos são sempre maravilhosos, de fácil entendimento e de uma leveza única. Espero que vocês gostem e aprendam, assim como eu. Beijo carinhoso! Caroline Salazar

Endometriose intestinal: retossigmoide - parte 1

Por doutor Alysson Zanatta
Edição: Caroline Salazar

Queridas leitoras do blog A Endometriose e Eu,

É com alegria que participo mais uma vez do blog, sempre grato ao carinho e esforços da Caroline. Escrevo hoje sobre um tipo de endometriose relativamente comum, e que gera dúvidas às pacientes que vêm ao meu consultório: a endometriose intestinal. O assunto já foi abordado no blog em tradução que realizei de texto do doutor David Redwine (leia esse texto: parte 1, parte 2texto 3 e parte 4). Quero aqui complementá-lo, e responder às perguntas que ouço diariamente sobre a doença.

Quando falamos de endometriose intestinal, podem vir à mente imagens de pessoas colostomizadas, de cirurgias “mutiladoras”, ou de sequelas permanentes e irreparáveis. Inevitavelmente, associamos a endometriose intestinal ao câncer de intestino, este sim com potencial muito mais agressivo. Ouço frequentemente perguntas como “Doutor, mas endometriose no intestino? Como vou ficar? Irá romper? Irá obstruir? Vira câncer?” As preocupações podem ser enormes, porém algumas vezes injustificadas.

A importância da endometriose intestinal se deve ao fato dela ser relativamente comum (cerca de duas ou três a cada 10 mulheres com endometriose) (1), e de gerar preocupações sobre suas consequências. Quando falamos de endometriose intestinal, é necessário que falemos separadamente sobre cada um dos três tipos de doença, pois seus significados clínicos e abordagem são distintos. Falarei hoje sobre a endometriose de retossigmoide (ER) (Fotos 1 e 2), o segmento final do intestino grosso que termina no canal anal e é responsável pelo armazenamento e esvaziamento das fezes.


Foto 1 - Endometriose de retossigmoide



Foto 2 - Endometriose de retossigmoide



O que é a Endometriose Intestinal?

Entende-se por endometriose intestinal aquela que acomete ao menos a camada muscular externa, dentre as quatro camadas de “fora para dentro” da parede intestinal: serosa, muscular externa, muscular interna e mucosa. A doença pode ocorrer em um (ou mais) de três segmentos intestinais distintos: o retossigmoide (70-90%), o apêndice vermiforme (10-20%), ou o íleo terminal (2-5%). A endometriose intestinal é um exemplo típico de endometriose profunda, ou seja, aquele tipo de endometriose que forma nódulos, passíveis de identificação ao exame clínico e aos exames de imagem feito por especialistas. A endometriose intestinal é uma manifestação tardia e avançada da doença. Quando há endometriose intestinal, certamente há outras lesões presentes que surgiram anteriormente.

Assim como as demais lesões de endometriose profunda, não há qualquer prova de que a endometriose intestinal seja causada pela menstruação retrógrada. Se fossem causadas pela menstruação, ela poderia ocorrer em qualquer parte dos cerca de 8 metros de intestino que nós temos, pois uma célula de menstruação “solta” na cavidade poderia se implantar em qualquer lugar. Entretanto, a doença ocorre sempre exatamente nos mesmos locais, como se esses já fossem “marcados” desde o nascimento para acontecer. Assim como as demais lesões de endometriose, há relato da presença de células de endometriose no retossigmoide de fetos (2), o que nos faz supor que esse tipo de endometriose também tenha origem desde o período embrionário.

Quais os Sintomas da Endometriose do Retossigmoide?

Destaco aqui, querida leitora, minha primeira mensagem importante: nem sempre há relação entre ER e sintomas intestinais. Ou seja, ter endometriose no intestino não significa necessariamente ter sintomas intestinais, assim como ter sintomas intestinais não significa ter endometriose no intestino. Como nossa decisão terapêutica será baseada essencialmente em sintomas, essa distinção é fundamental para escolhermos o tratamento adequado.

De forma comum, a ER pode causar distensão abdominal, “gases”, constipação, dor à evacuação (especialmente na passagem das fezes pelo canal intestinal), e sangramento nas fezes (de forma menos comum). Ouço frequentemente que há “diarreia” e que o intestino “melhora, fica mais solto” no período menstrual. Ainda assim, como disse, não posso prever com certeza que há endometriose no retossigmoide pela presença desses sintomas, pois eles também ocorrem em mulheres com outras lesões de endometriose, especialmente aquelas no fundo de saco de Douglas (região entre o útero e o intestino, no “fundo” da vagina). Talvez o sintoma mais específico da endometriose do retossigmoide seja o sangramento nas fezes que ocorre junto com o período menstrual. Esse, porém, irá ocorrer em apenas 5% das pacientes com ER, pois em apenas 5% dos casos a lesão atinge a camada interna (mucosa).


Perfuração e Obstrução Intestinal por Endometriose de Retossigmoide

A ER está raramente associada a complicações agudas, como perfuração e obstrução. Isso significa que muito dificilmente uma mulher precisará de cirurgia “de urgência” devido à endometriose no retossigmoide.

Algumas mulheres podem dizer que percebem fezes “finas”, sugerindo uma redução do diâmetro intestinal pela doença. Porém, raramente haverá uma obstrução completa. Isso acontece porque o retossigmoide tem um diâmetro maior que os demais segmentos, tornando menos possível a obstrução. Ao longo de pouco mais de 10 anos, observei apenas uma paciente que havia realizado uma cirurgia anterior de urgência por obstrução do retossigmoide devido à endometriose. Ainda assim não tive plena certeza se a situação mereceria uma cirurgia de urgência.

De forma semelhante, a perfuração espontânea do retossigmoide por endometriose também é infrequente. Apesar de haver vários relatos de perfuração, especialmente durante a gestação (3), é difícil sabermos qual a probabilidade real de que isso possa acontecer tampouco identificarmos pacientes que teriam maior probabilidade.

Portanto, devido à baixíssima possibilidade de obstrução e perfuração do retossigmoide por endometriose, a meu ver não haveria indicação cirúrgica para remoção de endometriose do retossigmoide pelo fato de que ela possa “complicar”. As indicações cirúrgicas são outras, como relatarei abaixo.

Endometriose intestinal vira câncer?

Não, muito possivelmente. Entretanto, da mesma forma que perfuração e obstrução intestinal, há também relatos isolados de câncer intestinal associados à endometriose (4).

O que sabemos é que há uma possível associação (não necessariamente causa e efeito) entre endometriose e câncer de ovário (5).  Me refiro à endometriose como um todo, e não ER isoladamente. Quase 8000 mulheres com câncer de ovário foram questionadas se tinham (ou tiveram) endometriose. Cerca 9% delas responderam que sim, comparado a 6% de 13000 mulheres que não tinham câncer de ovário.

Isso significaria um aumento no risco de vida de 1,5% para 2,5% ou 3% de desenvolvimento de câncer de ovário ao longo da vida. Apesar do aumento do risco relativo, ainda não conseguimos identificar quais mulheres teriam esse risco aumentado, e, portanto, não podemos afirmar com certeza que haveria redução do risco de câncer se operássemos a endometriose.


Sobre o doutor Alysson Zanatta:
Graduado e com residência médica pela Universidade Estadual de Londrina, doutor Alysson Zanatta tem especializações em uroginecologia e cirurgia vaginal pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), cirurgia laparoscópica pelo Hospital Pérola Byington de São Paulo e doutorado pela Universidade de São Paulo, USP. Suas principais áreas de atuação são a pesquisa e o tratamento da endometriose, com ênfase na cirurgia de remoção máxima da doença. Seus inter­esses são voltados para iniciativas que promovem a conscientização da população sobre a doença, como forma de tratar a doença adequadamente. É diretor da Clínica Pelvi Uroginecologia e Cirurgia Ginecológica em Brasília, no Distrito Federal, onde atende mulheres com endometriose, e Professor-adjunto de Ginecologia da Universidade de Brasília (UnB). (Acesse o currículo lattes do doutor Alysson Zanatta). 


1.            Pereira RM, Zanatta A, Preti CD, de Paula FJ, da Motta EL, Serafini PC. Should the gynecologist perform laparoscopic bowel resection to treat endometriosis? Results over 7 years in 168 patients. J Minim Invasive Gynecol. 2009; 16:472-479.
2.            Signorile PG, Baldi F, Bussani R, et al. Embryologic origin of endometriosis: analysis of 101 human female fetuses. J Cell Physiol. 2012; 227:1653-1656.
3.            Costa A, Sartini A, Garibaldi S, Cencini M. Deep endometriosis induced spontaneous colon rectal perforation in pregnancy: laparoscopy is advanced tool to confirm diagnosis. Case Rep Obstet Gynecol. 2014; 2014:907150.
4.            Yantiss RK, Clement PB, Young RH. Neoplastic and pre-neoplastic changes in gastrointestinal endometriosis: a study of 17 cases. Am J Surg Pathol. 2000; 24:513-524.


5.            Pearce CL, Templeman C, Rossing MA, et al. Association between endometriosis and risk of histological subtypes of ovarian cancer: a pooled analysis of case-control studies. Lancet Oncol. 2012; 13:385-394.

21 comentários:

  1. Olá, quem seria o profissional que indicariam no rio grande do sul? Sou de rio grande/ RS, grata, claidy santos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá tenho endometriose e sou do sul de sc aqui posso lhe indicar o médico q me trato que é em Florianópolis

      Excluir
    2. Olá Cristina, eu tive endometriose no intestino retirei 15cm em outubro 2015, operei em Curitiba com a equipe do Dr. William Kondo, super indico.

      Excluir
    3. Cristina eu sou de Tubarão SC, passei por uma grande cirurgia com 4 médicos em Maio de 2015. Duas equipes foram necessárias, De. Kaiser Koch chefe da proctologia e Dr. Marcelo Dexaimer da ginecológica. Fui muito bem atendida e não me esconderam nada o que poderia acontecer. Passei por uma Retossigmoideoscopia e uma Histectomia total, em uma semana de cirurgia voltei a fazer o intestino que havia virado e após 5 meses com colostomia retirei a bolsa em Outubro do ano passado. E agora é hora de recomeçar, celebrar a vida sem dores. Conto tudo lá no meu face : Denise Francioni Buss.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    5. Ivana e Cristina tb operei com Dr. William Kondo. Super indico. A parte do intestino quem operou foi o Dr. Deitam Ribeiro que é um excelente profissional. Fiz a cirurgia no dia 15-02-16 e ainda estou me recuperando. Boa Sorte meninas. Dr.Alysson Parabens pela excelente matéria.

      Excluir
  2. Nossa, acho que meu caso é rarissimo entao! Tive obstrução total do retossigmoide pela endometriose. Tive que fazer a cirurgia de emergencia, pois eu simplesmente nao evacuava mais. Por ser raro, fiquei internada em varios hospitais e nenhum medico descobria o que eu tinha. Quase morri, pois meu intestino chegou a romper em razao da distensão. Fiz a cirurgia e continuei com tratamento. 4 anos depois tive o mesmo problema, fiz nova cirurgia, e tive que tirar nao só intestino, mas tambem trompas e um ovario. Fiz fiv e e gravidei de primeira Hoje meu bebe tem 10 meses.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camila de Deus, vc é uma vitotiosa, eu tive endometriose, falo tive porque eu naõ aceito essa doença na na minha vida de maneira alguma, fiz a cirurgia em março do ano passado, exato 1 ano, embora falam q volta, eu não aceito rsrs, antes da cirurgia eu fiz uma fiv, nao deu certo, agora após 1 ano e operada estou nos procedimentos pra outra fiv, espero dá tudo certo´, fiquei muito feliz e mais confiante, depois q vi sua postagem, parabéns, Deus foi e é contigo, creio q ele é com todas no, bjs Camila

      Excluir
  3. Minha amiga tem endométriose no intestino, ele estourou para fora,perdeu muito sangue,porque ocorreu isso???

    ResponderExcluir
  4. Ola sou jaciane,fiz tratamento de endometriose ovariana, tomei injeção durante 6 meses, retirei um cisto hemorrágico e o ovário esquerdo, já faz uns 13 anos,agora tou começando a sentir muita cólica e vivo praticamente com sangramento direto, só que pouco, será que é a endometriose que voltou?

    ResponderExcluir
  5. Ola sou jaciane,fiz tratamento de endometriose ovariana, tomei injeção durante 6 meses, retirei um cisto hemorrágico e o ovário esquerdo, já faz uns 13 anos,agora tou começando a sentir muita cólica e vivo praticamente com sangramento direto, só que pouco, será que é a endometriose que voltou?

    ResponderExcluir
  6. Ola sou jaciane,fiz tratamento de endometriose ovariana, tomei injeção durante 6 meses, retirei um cisto hemorrágico e o ovário esquerdo, já faz uns 13 anos,agora tou começando a sentir muita cólica e vivo praticamente com sangramento direto, só que pouco, será que é a endometriose que voltou?

    ResponderExcluir
  7. Alguém já operou com o Dr. ALYSSON ZANNATTA? Tem referências dele?

    ResponderExcluir
  8. Alguém já operou com o Dr. ALYSSON ZANNATTA? Tem referências dele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Andrea a Tatiana, que contamos a história dela aqui em dezembro de 2015, operou com ele, leia o que ela fala dele: http://aendometrioseeeu.blogspot.com.br/2015/12/a-historia-da-leitora-tatiana-mota.html Beijo carinhoso!

      Excluir
    2. Carol,
      Além do Dr. Alysson, quais outros médicos tratam endometriose com sucesso em Brasília? Temos indicações?

      Grata.

      Excluir
  9. Andrea olha esse relato de uma paciente do Dr. Alysson.
    http://aendometrioseeeu.blogspot.com.br/2015/12/a-historia-da-leitora-tatiana-mota.html

    ResponderExcluir
  10. operei da endometriose profunda, ano passado, a exato 1 ano ,no Hc SP Março de 2015,até agora me sinto bem, graças a Deus, o q mais incomoda é o intestino, q dá umas cólicas pra evacuar, antes da cirurgia era mais difícil, agora ta bem melhor, foi retirado 4cm do intestino.

    ResponderExcluir
  11. Olá meu nome é Marcela,estou sofrendo muito cm fortes dores no pé da barriga,vem acompanhada de dor do lado direito,vontade de urina toda hora e to evacuando praticamente o dia todo,sensação de bexiga cheia apesar de ta urinando toda hora,desde já agradeço....

    ResponderExcluir
  12. Olá! Joselandia, sua Endometriose era no retossigmoide? Estou com este diagnóstico, e a minha médica me disse que a Endometriose atingiu 40% da circunferência do meu retossigmiode, assim recomendou a cirurgia mesmo, até porque tb tem focos de Endometriose em outras regiões tb. Mas me alertou que a decisão de quando operar cabe a mim, por ela, já faria a cirurgia logo, mas me disse pra pensar se já quero fazer ou se continuo tentando engravidar (descobri a Endometriose quando passei a tentar engravidar, através de exames de rotina m, estou tentando a pouco tempo, uns 6 meses). A médica comentou pretender cortar 5 cm do meu intestino. Me conte um pouco mais da sua história, quem te operou no HC, minha médica tb atende lá, Dra Fernando Okita, como foi a recuperação e se decidiu a cirurgia pelos sintomas.

    ResponderExcluir
  13. OLÁ MENINAS !!!
    Me chamo Kátia, fui diagnosticada com endometriose a 2 anos, desde então faço tratamento , mas a dois meses foi constatado que minha endometriose é profunda e esta com acometimento do intestino, já não consigo ir ao banheiro e sinto muitas dores. Estou com todo o pré operatório pronto mas nçao consigo a equipe para esse procedimento. Tem ido de hospital em hospital para conseguir essa cirurgia e nada. Sou de São Paulo, poderiam me indicar esses especialistas ?

    ResponderExcluir