terça-feira, 3 de novembro de 2015

"COM A PALAVRA, O ESPECIALISTA" DOUTOR HÉLIO SATO!!

Em mais uma “Com a Palavra, o Especialista”, o doutor Hélio Sato tira dúvidas das leitoras sobre a questão de ser tão comum entre endometriose e fibromialgia. Por que muitas endomulheres têm também fibromialgia? Existe alguma associação entre elas? A outra questão é a respeito da menopausa x endometriose. A manauara Silvana quer saber se é possível ter endometriose na menopausa. Mesmo sem menstrual, ela sente cólicas e dores nas pernas e na lombar. Cabe aqui destacar o texto do cientista americano David Redwine sobre se a menopausa cura a endometriose? Se você quiser que sua pergunta seja esclarecida na coluna, envie e-mail para carolinesalazar7@gmail.com o título “Com a palavra, o especialista”. Porém, vale ressaltar, que esta coluna é para dúvidas gerais sobre a doença e não aceitamos questões de casos específicos. Beijo carinhoso! Caroline Salazar


- Tenho endometriose, fibromialgia e síndrome da fadiga crônica. Vejo muitas portadoras que também têm fibro. Gostaria de saber se as duas doenças estão associadas e por quê? Carla Castro – Jundiaí – São Paulo
Doutor Hélio Sato: Sim! Existe uma associação entre a endometriose e a fibromialgia. Quanto à fibromialgia não está determinada sua causa, porém, sabe-se que está relacionada com a ansiedade crônica e alteração do sono. Dado que os desconfortos da endometriose podem remeter a ambos, a fibromialgia torna-se mais comum nas mulheres com endometriose. Deste modo, é muito importante ter um olhar atento na experiência específica e individual de vida e, por conseguinte o propósito terapêutico eficaz tem que abranger as particularidades, para assim, atingir ganhos na qualidade de vida, ou seja, não apenas tratar a doença, mas, sim os aspectos da vida da mulher.
- Entrei na menopausa aos 40 anos. Hoje, aos 44 anos, não menstruo, mas sinto cólicas, dores nas pernas, na lombar. Isso pode ser sinal de endometriose? Silvana do Carmo – Manaus – Amazonas
Doutor Hélio Sato: Muito provavelmente não. A endometriose, via de regra, demanda estímulo hormonal para se desenvolver e para se manter, dado que a menopausa caracteriza-se pela diminuição acentuada de produção hormonal, tornam-se pouco prováveis manifestações clínicas da endometriose em mulheres nesta fase da vida. Já a menopausa é complexa e pode afetar diversos pontos do corpo e da vida da mulher, cabe citar: Ondas de calor, osteoporose, dores articulares, insônia, queda de cabelo, melancolia, fragilidade da unha, diminuição da libido e outros. E, desta forma, se não houver contraindicações, sugiro fazer uma terapia hormonal, ainda mais, se a menopausa ocorreu abaixo de 45 anos.

Sobre o doutor Hélio Sato: 

Ginecologista e obstetra, Hélio Sato é especializado e endometriose, em laparoscopia e em reprodução humana. Tem graduação em Medicina, Residência Médica, Preceptoria, Mestrado e Doutorado em Ginecologia pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), e foi corresponsável do Setor de Algia Pélvica e Endometriose da mesma instituição. 

Hélio Sato tem certificado em Laparoscopia pela Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e de Obstetrícia. É membro da AAGL “American Society of Gynecology Laparoscopy” e é coordenador de pesquisas da clínica de reprodução humana GERA e está à frente nas seguintes linhas de pesquisas: endometriose, biologia celular e molecular, cultura celular, polimorfismo gênico e reprodução humana. (Acesse o currículo Lattes do doutor Hélio Sato). 

5 comentários:

  1. Tenho 19 anos e desde há 5 anos para cá tens perdas de sangue fora do período mestrual e desde a 2 anos que essas perdas vêm a ser mais abundantes e com mais frequência agora tenho perdas quase todos os dias menos nos dias que era suposto estar mestruada, comecei a tomar a pílula gynera a há 7 anos para controlar as perdas há pouco tempo o médico trocou para a sibilla tomei apenas 2 meses depois ele trocou outra vez para a Gynera. Entretanto outro medico receitou me uns medicamentos e tirou me a pilula e nada melhorou continuo com as mesmas perdas várias dores no corpo a minha barriga incha parecendo até que estou grávida tenho dores muito forte na zona do abdominal não consigo ter relações pois tenho imensas dores. Já fui a vários médicos e todos dizem que não é nada já fiz vários exames . Um deles disse que poderia ser endometriose mas que não poderia fazer nada para me ajudar . Eu estou a espera de uma nova consulta com alguém mais dentro do assunto que me possa ajudar. Entretanto gostaria de saber se colocar um Implante Hormonal me ajudaria ou seria prejudicial na minha situação ? E se posso recorrer a alguém que me ajude com rapidez eu sou da zona de Albufeira / Algarve / Portugal eu consegui alguém entendido na área mas não sei quanto tempo ir levar a consulta e a minha situação piora de dia para dia com as dores e as perdas de sangue.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Jessica
      Entre em contacto com a Associação Portuguesa de Apoio a Mulheres com Endometriose - MulherEndo
      São muito acessíveis, penso que a podem ajudar
      https://www.facebook.com/AssociacaoMulherEndo/?fref=ts
      http://mulherendo.pt/

      Excluir
  2. Boa noite! Penso que não é muito correcto um ginecologista falar de Fibromialgia, ainda mais quando a informação é incorrecta. A Fibromialgia não está relacionada com ansiedade crónica. É reconhecida pela OMS como uma doença reumática, mas novos estudos apontam que é um problema no Sistema Nervoso Central. Eu por acaso fiz um artigo para um dos nosso blogs em parceria com a MulherEndo - Associação Portuguesa de Apoio a Mulheres com Endometriose, sobre a Endometriose e Fibromialgia. Podem ler aqui http://goo.gl/lCY5r2
    Atentamente
    Joana V.

    ResponderExcluir
  3. Dr Hélio, vc atende Notredame? ? ?

    ResponderExcluir
  4. Quero agradecer a este excelente blog. Parabéns Caroline! Graças a varias pesquisas e ao seu blog, hoje tenho um pouco de conhecimento da minha doença. Sofro desde os 14 anos com cólicas fortes, vômitos, dores nas costas, 8 infecções nos rins, desmaios, e 7 internações, além de um aborto no segundo mês de gestação, relação sexual é impossível, trabalhar então, cheguei até ser demitida pelas faltas e quantidades de atestados. Ano passado após minha 7º internação, o médico clinico disse que eu deveria procurar um ginecologista urgente, (CHEGUEI ATÉ USAR FRAUDA GERIÁTRICA DEVIDO A HEMORRAGIA) antes disso eu achava que minhas dores eram normais, e que era apenas uma "sorteada" pra ter dores intensas, o médico não achando muito normal me encaminhou a um ginecologista, onde fiz vários exames, sangue, transvaginal, biopsia, ressonância, e de pronto me informou que eu tinha endometriose, minha coluna foi muito prejudicada, como não tinha noção da doença, chegava a tomar remédios em grandes quantidades, em um dia ingeri 27 comprimidos de buscopan, sem contar nos comprimidos de postan, buscofem, tudo que era relacionado a melhorar a minha dor, o que afetou minha vista, e durante um mês fiquei com os dois olhos com uma especie de sangue pisado. Faço a retirada do utero janeiro, estou com muito medo.
    Aos 29 anos, não tenho filhos, e incapaz de trabalhar devido a isso.
    Hoje estou pelo inss recebendo auxilio doença com possibilidade de se aposentar por invalidez. Queria que todas as mulheres que sofressem com isso procurassem seus direitos. Sofremos caladas por achar que é normal, mas por muitos anos não tive conhecimento do que realmente eu tinha. A minha endometriose esta tão avançada que terei que retirar o útero.
    Seu blog é maravilhoso!

    ResponderExcluir