quinta-feira, 9 de outubro de 2014

COMO CONSEGUI MINHA "BÁRBARA" VITÓRIA DA MATERNIDADE - PARTE 1!!

Os primeiros vestidinho e sapatinhos da Bárbara, presentes da vovó Reila e das titias Isabella e Renata

Faz muito, mas muito tempo que não escrevo mais sobre minha vida aqui no blog. Depois de ter ficado 100% sem dores, após minha segunda videolaparoscopia em 2012, o A Endometriose e Eu tomou uma proporção tão grande, que ele não é apenas mais meu, mas nosso. De um diário pessoal, o blog se tornou o mais completo do mundo sobre endometriose escrito por uma portadora. Desde então, o show fica por conta dos nossos colaboradores e, de idealizadora, passei a ser apenas a editora. Excepcionalmente hoje volto a escrever mais um capítulo de minha história, pois sei que ele ajudará muitas endomulheres a manterem acesa a fé e a esperança. Vou ser mamãe!! Estou grávida de 17 semanas (4 meses e 1 semana) à espera da princesa Bárbara e, claro, não poderia deixar de compartilhar com vocês tin tin por tin tin como tudo aconteceu.

 Ser mãe nunca foi o grande sonho da minha vida, confesso. Sempre quis ser uma profissional brilhante, ganhar prêmios. Já sonhei em ser correspondente internacional, em cobrir guerras e até mesmo em ser repórter investigativa (plano abortado após a morte do brilhante Tim Lopes). Me achava diferente da maioria das minhas amigas, pois queria trilhar uma carreira antes de construir minha família. Com a descoberta da endometriose e das minhas aderências, nunca fiquei preocupada se um dia iria engravidar ou não. Sei que Deus está sempre no comando e, no fim, a decisão é somente Dele. Se tivesse de ser seria! Bem assim! E esse dia chegou! Por volta dos 34, quase se aproximando dos 35 anos, senti pela primeira vez a vontade de ter um filho. Com a pessoa certa para ser o pai dos sonhos do meu filho, fomos ao doutor Hélio Sato dar à boa-nova!

Era dezembro de 2013, e ele nos deu os primeiros exames a serem feitos. Uma batelada de exames de sangue e, dentre eles, um de extrema importância: a avaliação da minha reserva ovariana pela dosagem do hormônio anti-Mulleriano. Por conta das minhas cirurgias abertas realizadas na adolescência, uma de apêndice e uma laparotomia para a retirada do cisto de ovário, eu já imaginava que a coisa não estaria assim uma Brastemp. Sem contar a idade, pois eu já estava com 35 anos e eu sei que após os 32, 35, a reserva já começa a cair pela metade. Somada às cirurgias, então... Mas eu pensava que pelo menos ela estava no limite. No fim de janeiro de 2014 quando retornamos ao doutor Hélio, senti no seu semblante ao abrir o resultado, que minha reserva não era o que ele esperava. Ela estava um pouco baixa, nada muito, mas não era a ideal. Retirei o DIU de plástico e descobri que não era ele que me deixava sem dores, mas, sim, a cirurgia perfeita que o doutor Hélio e o doutor Roberto fizeram em 2012. Somente na primeira menstruação tive sangramento anormal, por conta da retirada do Mirena. Mas sem dores. As outras foram normais. Saímos do consultório com mais e mais exames!

Mais uma consulta, mais pedidos de exames e todos normais, inclusive, o que rastreia possíveis doenças genéticas, inclusive, a que causa a infertilidade. O exame chamado cariótipo com banda G lê todos os nossos genes, detecta possíveis síndromes cromossômicas e demora cerca de 30 dias para ficar pronto. Foi nessa consulta que eu e meu companheiro decidimos que faríamos a FIV. Na verdade a decisão foi dele, baseada no meu histórico (endometriose aderências + baixa ovulação). Como não íamos fazer a inseminação artificial, não vi se minha única trompa que estava fértil em 2012 ainda continuava boa. Para quem opta pela I.A. essa verificação é de extrema importância antes de realizar o procedimento. A partir desta decisão, o doutor Hélio solicitou o último e decisivo exame para implantação do embrião: a biópsia do endométrio. Nele descobri que estava com endometrite (uma inflamação no endométrio – a cavidade que reveste o útero). Tomei um antibiótico forte por 3 semanas para combater essa inflamação. Creio que esse cuidado especial fez toda a diferença para o sucesso da minha FIV. No dia 15 de junho comecei a indução e, no primeiro ultrassom seriado, mais uma surpresa: descobrimos que meu ovário esquerdo (aquele que retirei o cisto quando tinha 15 anos na cirurgia aberta) estava paralisado e com três alças intestinais em cima dele. Foi um semi-baque, assim posso dizer, mas minha fé me dizia: “Mantenha a serenidade tudo dará certo”. 

Era uma sexta-feira e, nessa mesma noite, o doutor Hélio me disse que se não desse para retirar meus óvulos na terça, a implantação teria de ser feita com outro médico da clínica, pois ele iria participar de um congresso internacional de reprodução na Alemanha. Eu não sabia se me preocupava com o ovário lascado ou com essa notícia. Peguei na mão do doutor Hélio e disse: “Quase não leio nada na internet, mas por acaso li que quanto menos trauma o embrião sofrer, maior a chance de ele vingar. Só vai dar certo se você implantar. Sei que os outros médicos são bons, mas eu confio em você”. Pacientemente, ele respondeu: “Calma Carol vai dar tudo certo. Se no domingo você tiver pelo menos dois folículos de 17mm, podemos fazer a coleta na terça e a implantação na sexta pela manhã”. A viagem dele estava marcada para sexta à noite. Era quase 22h e saí do consultório praticamente de joelhos, rezando e pedindo a Deus e à minha guerreira Santa Bárbara que me ajudassem a ter esses dois folículos. Confesso que estava preocupada, mas ao mesmo tempo serena e confiante. Ter um médico que te dê tranquilidade neste momento e confiar nele é fundamental para mantermos a calma. 

Domingo às 13h estávamos no consultório, e realmente foi constatado que o ovário esquerdo não estava funcionando, mas no direito eu tinha oito folículos, dois de 17mm. Bingo! Era o mínimo que eu precisava para a coleta na terça. Saímos do consultório felizes da vida! No dia 24 de junho às 8h me preparava para fazer a punção (retirar os óvulos). Já tinha escutado algumas mulheres dizerem que esse procedimento doía, que sentiam incômodo depois. Gente, eu não senti absolutamente nada. A sedação é bem pouca, e não senti nenhum desconforto abdominal, nenhum incômodo após o procedimento. As mãos abençoadas do doutor Hélio realmente são incríveis. Após minha recuperação, o doutor Hélio foi nos dar a notícia dos óvulos. Dos oito folículos eu tive apenas dois óvulos. Desses dois, um era saudável, perfeito, sem nenhuma imperfeição, mas o outro não estava bom. Eles iam tentar maturá-lo em laboratório, mas confesso que por conta da minha idade, não achei essa ideia muito boa. Mais uma vez pedi a Deus que preparasse o melhor. Se fosse para implantar um único óvulo eu aceitaria sua vontade. No dia seguinte, o doutor Hélio me ligou confirmando que o segundo óvulo não vingou e que implantaríamos o precioso embrião na sexta dia 27 às 8h, 19 dias antes do meu aniversário de 36 anos. Pela minha idade, o correto era implantar três embriões. Assim eu teria de 30 a 40% de chances de engravidar. Implantando um as chances cairiam para menos de 10%.

O dia mais importante da minha vida chegou! Após minha preparação, a embriologista entrou no quarto e disse: “Caroline não fique nervosa. Sei que um único embrião diminui a chance de gravidez, mas isso não significa ser impossível. Seu óvulo era o que chamamos de perfeito, sem nenhuma fragmentação, estava lindo e formou um embrião de classificação A. Estou sentindo que vai dar certo”. Sorri para ela como agradecimento. Os embriões são classificados de acordo com seu desenvolvimento celular de A a D. Os A’s e B’s são os melhores e podem ter melhores chances de implantação. Estava ansiosa, mas com fé. Foi muito, muito rápido. O doutor Hélio sempre muito atencioso explicou passo a passo para nós e colocou carinhosamente meu único embrião bem no fundo do meu útero. O momento foi registrado com foto, claro. Permaneci alguns minutos de repouso e, antes de ir embora, o doutor Hélio me deu um conselho valioso: “Carol vida normal, como se nada tivesse acontecido. Você só precisa repousar nas primeiras 4 horas, e depois vida normal, só não carrega peso. Boa sorte, estou torcendo”. E me deu os dois pedidos do Beta HCG quantitativo para eu fazer nos dias 8 e 10 de julho.

No dia seguinte a implantação participei do lançamento do “Movimento Fertilidade”, que reivindica tratamentos de reprodução acessíveis a todos, seja pelo SUS e pelos planos de saúde. E, no dia 8, quando o Brasil perdia de goleada de 7 a 1 para a Alemanha na Copa, eu estava radiante com o meu beta positivo! Dois dias depois repeti novamente, e com o valor mais que dobrado foi confirmada minha gravidez. Ainda tive alguns obstáculos, mas como o texto já está grande, vou escrever a segunda parte, pois sei que os mínimos detalhes farão a diferença na vida de muitas mulheres. No texto de hoje deixo um recado preciosos que me ajudou: manter a fé e acreditar que Deus sabe o que faz, sempre para o nosso bem me conduziu ao estado de serenidade que precisava nesses percalços e nos próximos que virão. Ah, adianto que espero a princesa Bárbara! Sou devota há muitos anos de Santa Bárbara e presto essa homenagem, mas o nome também tem outro significado para nós. Não senti nada durante os sete dias de indução, foi tudo perfeito! Explicarei tudo no próximo! Beijo carinhoso!!

17 comentários:

  1. Parabéns Caroline! Sigo seu blog há quase dois anos e tem sido de grande ajuda. Tenho endometriose e SOP e também estou na luta para conseguir engravidar, mas tenho muita fé que o meu milagre está prestes a chegar…
    Sou muito grata a Deus pela sua vida, por te inspirar a criar esse blog tão rico em informação, que tem ajudado a nós, endomulheres.
    Que o Senhor te cubra de bênçãos e que a Bárbara venha trazer mais alegrias em seu viver… Muiats felicidades!
    Kellys - Goiânia-GO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia....sou TB de Goiânia e TB tenho endometriose queria muito saber se VC trata aqui com algum especialista em endometriose.....estou meio perdida sem saber para onde ir recebi a notícia a louco tempo.....fico grata se poder me ajudar!

      Excluir
  2. linda Carol, fiquei muito contente em saber da sua benção.... que história !!! VOCE é merecedora por tudo de bom que está acontecendo em sua vida, pois voce ajuda e dá muitas esperanças a milhões de mulheres e casais, com seu blog, palavras, projetos e acima de tudo com essa linda prova de FÉ, pois quem CONFIA EM DEUS , consegue bençãos e realizações de sonhos.....PARABÉNS MAMÃE, Deus te ilumine muito e abençoe a vida da princesa Barbara , bjinhos da amiga Fabi / São Paulo/SP

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela linda filha que há de vir. Linda história!!!! nos enche de esperança.... Somente Deus sabe como eu queria realizar esse sonho.... que está cada vez mais distante.... quase impossível....
    Berê / MG

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Carol, você é merecedora de todas as graças do céu. Nossa Senhora das Graças interceda por você e sua mocinha. Muito feliz por tua gestação!

    ResponderExcluir
  5. Muito, muito feliz e emocionada com a notícia e o relato... torcia muito por você!
    Você é um testemunho vivo de que podemos conseguir sim... quando colocamos Deus na frente dos nossos planos! Parabéns Carol!!

    ResponderExcluir
  6. Parabéns Carol... Quando chega o momento, Deus não falha!!! Que sua Bárbara venha com muita saúde... Felicidades mil...

    ResponderExcluir
  7. Linda Carol!!! Exemplo para TODAS as mulheres :-)

    ResponderExcluir
  8. Parabens Carol. to aki lendo e chorando. Obrigada por sempre nos trazer esperancas com seu exemplo de superacao contra essa doenca e tudo de ruim que ela traz. Deus abencoe vc e barbara.

    ResponderExcluir
  9. Linda história, que momento especial e único que vc está passando, aproveite cada semana e seja muito, mas muito feliz mesmo. Acompanharei cada relato e ficarei sempre torcendo muito por vc, um forte abraço Carol.

    ResponderExcluir
  10. Carol! Parabéns!!! Fiquei muito contente em saber dessa grande benção na sua vida!
    Seu blog é de grande ajuda para mim e concerteza para todas as portadoras de endometriose.
    Deus abençoe sua gestação e tudo mais.

    Thays

    ResponderExcluir
  11. Que história!q benção!q médico maravilhoso!
    Deus é tudo mesmo!!

    ResponderExcluir
  12. arrasou carol e eu fico confiante em busca do meu milagre... parabéns que barbara venha para lhe trazer muitas alegrias....

    ResponderExcluir
  13. Parabéns Flor
    Muito feliz obrigada por dividir a fatia da bençao com nos....
    Que Deus te abençoe cada dia mais.....
    Amo vc <3

    ResponderExcluir
  14. Que emoção ler esse post, Carol.
    De verdade, fico muito feliz por você. Mesmo sem nos conhecermos pessoalmente, você, por meio do seu blog, me ajudou a aprender mais sobre a endometriose e a encontrar referências e caminhos a seguir. Por toda doação a nós leitoras, nada mais justo que a vida te retribuísse com esse lindo amor. Muitas felicidades pra vc e pra bebê.

    ResponderExcluir
  15. Me emocionei com seu relato! Fiz minha laparo há uma semana e já sonho com minha FIV! É muito bom ver casos como o seu de sucesso! Ajuda a manter a esperança e a confiança em Deus! Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  16. Me emocionei com seu relato! Fiz minha laparo há uma semana e já sonho com minha FIV! É muito bom ver casos como o seu de sucesso! Ajuda a manter a esperança e a confiança em Deus! Um grande beijo!

    ResponderExcluir