quinta-feira, 20 de abril de 2017

7 ANOS DE BLOG!! "COM A PALAVRA, O ESPECIALISTA" DOUTOR ALYSSON ZANATTA!!

Você sabe quando a cirurgia de endometriose é indicada? Em “Com a Palavra, o Especialista”, o doutor Alysson Zanatta responde esta dúvida da Maria de Fátima, de São Paulo, e fala sobre sua conduta após as cirurgias. A outra questão é sobre protocolos clínicos a serem seguidos pelos especialistas para que haja o diagnóstico precoce. A leitora em questão levou 15 anos para ser diagnosticada. Infelizmente esta é a realidade de muitas meninas e mulheres do nosso Brasil. A média mundial é de sete a 12 anos. Eu mesma demorei 18 anos para dar nome às minhas dores. São anos de sofrimento até se chegar ao diagnóstico correto. Uma das missões do A Endometriose e Eu é espalhar a correta conscientização e os sintomas da doença, pois somente assim poderemos ter um diagnóstico mais precoce, evitando o sofrimento em vida de muitas endomulheres. Beijo carinhoso! Caroline Salazar

 – Quando a cirurgia para endometriose é indicada e qual é sua conduta após a cirurgia? Maria de Fátima Gonçalves – São Paulo, SP

Doutor Alysson Zanatta: Obrigado pela questão, prezada Fátima. Após a cirurgia observamos a efetividade da remoção da endometriose por três critérios: sintomas, exame físico, e exame de imagem (ultrassonografia com preparo e/ou ressonância magnética pélvica). 

Os objetivos da cirurgia são:
- que a mulher deixe de sentir dores (ou que necessite apenas de poucos analgésicos) e que a gente não mais observe sinais de endometriose ao exame ginecológico;
- que engravide (para aquelas que têm infertilidade);
- que o exame de imagem, a ser feito 4 a 5 meses após a cirurgia e pelo mesmo especialista que fez o exame antes da cirurgia, não mostre mais sinais de endometriose. 

Em cerca de 3 a 6 meses, teremos uma boa avaliação da efetividade da cirurgia.
Não utilizo nenhuma medicação para suspender menstruação, pois não há comprovação de que a endometriose seja causada pela menstruação. A mulher utilizará pílulas apenas se desejar anticoncepção, e em algumas situações específicas de endometrioma ovariano.

 – Sofri mais de 15 anos em busca de um diagnóstico para as minhas dores. Muitas vezes me passei por louca para os médicos. Dr existe algum protocolo que os médicos deveriam seguir para descobrir se a mulher tem ou não endometriose? Quais exames que o doutor pede? Anônima – Goiânia – Goiás

Doutor Alysson ZanattaO primeiro passo é escutar as queixas da mulher, e acreditar que suas dores possam ser causadas por uma doença orgânica, e não por fatores psicológicos e afins.

Já o segundo passo é fazer um toque vaginal “mais profundo”, avaliando o fundo da vagina e a região atrás do colo do útero. Se tocarmos o nódulo da endometriose (o que é possível em 50 a 70% das vezes), o diagnóstico já estará feito, antes mesmo de qualquer exame.

O terceiro e último passo é realizar um exame de imagem, ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal e/ou ressonância magnética pélvica, com um especialista. São poucos esses profissionais, mas estão aumentando. O exame confirmará e mapeará a extensão da doença com grande exatidão, caso seja feito por profissional capacitado.

Pronto. Diagnóstico estará feito.

Não utilizo o marcador tumoral sanguíneo CA-125, pois é altamente inespecífico. Não utilizo colonoscopia pois apenas 5% das lesões intestinais atingirão o interior do intestino para serem visíveis à colonoscopia, e porque tanto a ultrassonografia com preparo quanto a ressonância são superiores no diagnóstico da endometriose intestinal.



Sobre o doutor Alysson Zanatta:
Graduado e com residência médica pela Universidade Estadual de Londrina, doutor Alysson Zanatta tem especializações em uroginecologia e cirurgia vaginal pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), cirurgia laparoscópica pelo Hospital Pérola Byington de São Paulo e doutorado pela Universidade de São Paulo, USP. Suas principais áreas de atuação são a pesquisa e o tratamento da endometriose, com ênfase na cirurgia de remoção máxima da doença. Seus inter­esses são voltados para iniciativas que promovem a conscientização da população sobre a doença, como forma de tratar a doença adequadamente. É diretor da Clínica Pelvi Uroginecologia e Cirurgia Ginecológica em Brasília, no Distrito Federal, onde atende mulheres com endometriose, e ex-professor-adjunto de Ginecologia da Universidade de Brasília (UnB). (Acesse o currículo lattes do doutor Alysson Zanatta). 

Um comentário:

  1. Olá.
    Gostaria de saber se vocês já tiveram relatos de reações adversas das mulheres que estão fazendo tratamento com o dienogeste.
    Estou fazendo tratamento à um mês e o que pude perceber uma redução drástica da lubrificação no momento do sexo, baixa libido, redução da sensibilidade das mamas. Ainda tive uma forte dor durante o tratamento e um pequeno escape. Gostaria de ver outros relatos pra ver se isso seria do remédio mesmo. Minha endo é nos ovários.

    ResponderExcluir