segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A HISTÓRIA DA LEITORA ANA PAULA NUNES, SUA ENDOMETRIOSE SEVERA E SUAS DUAS GESTAÇÕES NATURAL!!

Grávida de 14 semanas do segundo filho, Ana Paula mostra
orgulhosa sua família: o filho, Samuel, e o marido, Cristiano
Foto: arquivo pessoal/ Ana Paula Nunes

A história de hoje é muito, muito especial. Conheci a Ana Paula em 2011, quando ela entrou em contato comigo após ouvir o nome do A Endometriose e Eu na novela das 9 da Globo, "Insensato Coração". Após algumas trocas de emails, começamos a conversar por telefone (sim, isso era possível quando a demanda de trabalho não era tão intensa!). Em cada crise de Ana Paula, eu entrava em desespero. Era muito sofrimento. Foram meses e meses assim! Até que em uma manhã, quando ela não saía da minha cabeça, liguei para ela e sua mãe atendeu e disse que ela estava no hospital, pois tinha sido submetida à uma cirurgia de urgência após mais uma forte crise. Sua recuperação foi difícil, acabaram fazendo uma laparotomia vertical nela. Confesso que, na época, fiquei muito preocupada. Continuamos conversando pela internet e foi uma felicidade imensa quando soube que mesmo com um único ovário, Ana Paula conseguiu engravidar naturalmente. Sim, isso é possível de acordo com a reserva ovariana e  mobilidade das trompas. Mais emocionada ainda fiquei em janeiro, quando fui surpreendida pela notícia que, oito meses após o nascimento de seu primogênito, Samuel, ela está grávida novamente! Isso aconteceu mesmo com ela tomando anticoncepcional. Eu que já queria contar sua história aqui quando soube desta boa-nova, insisti no convite e aqui está mais um testemunho de fé, de esperança, de perseverança que vai ajudar muitas endomulheres. Por isso aconselho às tentantes que não desistam nunca de seus sonhos. Leia e se inspire na história da querida Ana Paula. Fiquei muito comovida ao ler neste testemunho que minha ajuda foi essencial para ela se abrir com a família e seus amigos sobre a doença. Foi neles que ela encontrou o apoio e a estrutura que precisou para enfrentar a endometriose de peito aberto. Fico muito, muito feliz quando vejo a cada dia, o blog cumprindo sua missão com muito carinho e amor. Se você acha que a gravidez é a cura para a endometriose, leia este artigo: "A gravidez é a cura para a endometriose?" Beijo carinhoso!! Caroline Salazar

“Meu nome é Ana Paula Nunes Moraes do Nascimento Silva, tenho 31 anos, moro em Pindamonhangaba - SP, sou casada com Cristiano Moraes há 7 anos. 

Desde os meus 19 anos, meu período menstrual sempre foi muito doloroso. Além das dores, tinha fluxo intenso, mas toda vez que ia ao médico (procurei vários em busca de uma solução), eles me diziam que quando eu casasse, tudo iria melhorar! E assim vivi durante vários anos da minha vida, com dores, muitas dores. Só quem sente é que sabe como dói. Em 2009, quando me casei, procurei outra ginecologista. Essa realmente me ofereceu toda atenção que uma portadora de endometriose merece. Ouviu todas as minhas queixas, angústias, incertezas e sofrimento. Falei tudo que estava passando. Foi quando pela primeira vez eu ouvi a palavra “Endometriose”. Ela pediu que eu realizasse um exame laboratorial CA 125 e o resultado foi 335 U. Retornei com o resultado e fiz com ela minha primeira videolaparoscopia. Logo depois, fui recomendada pela médica a tentar a engravidar. Ela disse que essa era a hora. Tentamos por um período de seis meses, porém sem sucesso. Voltei a tomar o anticoncepcional, pois não poderia ficar menstruando por um período longo.

Em 2010 começaram todas as minhas crises de dor novamente. A partir daí realizei minha 2ª,3ª e 4ª cirurgias, com intervalo de um ano entre uma e outra. No início de 2011 fiz minha a 4ª videoparaloscopia cauterizado os focos. Por um tempo me senti bem. Mas no final de 2011 começou uma vida de muito sofrimento. Tinha dias que eu queria desistir, deixar que as dores tomassem conta de mim até morrer. As dores aumentaram muito.

Certo dia assistindo a um programa de TV, passava uma reportagem sobre a endometriose. No final do programa, a apresentadora falou que se alguém quisesse mais informações sobre a doença era só acessar o blog: A Endometriose e Eu. E, neste blog, conheci um anjo de cabelos castanhos e de coração imenso de amor, a Caroline Salazar. Trocamos vários e-mails, telefonemas e com muito amor sempre me incentivou a não desistir, principalmente do meu SONHO DE SER MÃE. Com sua ajuda, consegui me abrir com minha família e meus amigos, onde encontrei um apoio muito importante.

Em 2013, aos 29 anos, minhas dores abdominais se tornaram cada dia mais intensas. Foi um período de muitas internações. Vivia no hospital para aliviar as dores. Minha ginecologista me encaminhou para o proctologista. Um médico excepcional! Ele me pediu vários exames e, em um deles, foi verificado que havia focos de endometriose no intestino e que ele estava 50% obstruído. Foi período bem conturbado, de muita preocupação. Estávamos à procura de especialista em endometriose intestinal para cirurgia por videolaparoscopia. Posso dizer que há males que vem para o bem. Felizmente, nesta busca incessante, de muitas idas e vindas ao hospital, tive uma crise muito, muito grave e meu intestino ficou 80% obstruído. Realmente eu estava sem condições de esperar um dia sequer por uma cirurgia. Me levaram às pressas ao centro cirúrgico, e eu fui sem saber se na volta eu estaria com meus ovários e meu útero. A cirurgia durou cerca de 5 horas. Foi minha 5ª cirurgia, uma laparotomia vertical e foi retirado meu ovário direito e 38 cm de intestino grosso e, por 1 cm, graças a Deus, não precisei usar a bolsa de colostomia. O pós-cirúrgico foi muito dolorido e sofrido. E depois de todo sofrimento veio a notícia que eu temia: engravidar naturalmente era impossível, somente por inseminação artificial ou FIV. Posso dizer que compreendi minha situação, mas não queria aceita-la. Iniciei o tratamento de menopausa induzida com o Lupron (nota da editora: análogo de GnRH que induz a menopausa), e, logo depois, comecei a tomar Allurene.

Neste período estava sempre orando e pedindo a Deus que fizesse o melhor em minha vida, pois somente E le sabia o quão grande era a minha vontade de ser mãe. Em novembro de 2013 estava de férias e, certo dia, acordei e falei ao meu marido: “Estou grávida!”. Ele ficou assustado, pediu para eu me acalmar, e disse que tudo não passou de um sonho. Mas nada tirava da minha cabeça a certeza da gravidez. Comprei o teste de farmácia e o resultado não ficou claro. Fui a minha ginecologista, que também duvidou de uma possível gestação. Mesmo assim, solicitou o Beta HCG para investigar todas as possibilidades. Fui correndo ao laboratório! Foram horas inacabáveis de tensão. Posso dizer que deixei a família toda maluquinha com minha ansiedade (risos)!

E, finalmente, chegou o tão esperado resultado. E quando falei que não tirava isso da minha cabeça, eu estava certa: deu “positivo”. Estou grávida! Meu milagre aconteceu! Que felicidade!!! Foram meses de cuidados e preparativos. Percebi que eu e meu filho éramos muito queridos por muitas pessoas. Tive uma gestação perfeita, com poucos enjoos, muita fome e um desejo imenso de comer costela assada  (risos). Trabalhei normalmente. Foi tudo perfeito até... quando completei 32 semanas de gestação, tive descolamento da placenta. Foi quando meu bebê nasceu! Samuel nasceu prematuro, com 2250 quilos e 44 cm. E nasceu também um amor sem igual. Foi um momento de muita alegria, mas ao mesmo tempo muito angustiante. Nosso anjinho foi para UTI neonatal.

Começou mais uma fase de provações. Ele nasceu com desconforto respiratório, teve infecções e hipertensão pulmonar. Foram os 45 dias mais longos e dolorosos de nossas vidas. Mas nosso anjo venceu essa batalha e fomos para casa. A adaptação do Samuel foi mais tranquila para ele. Já a minha realmente foi muito tensa com todos os cuidados, mas ele vem se desenvolvendo muito bem. Hoje é uma criança muito feliz, risonho, brinca o dia todo, e por eu trabalhar fora, optamos por colocá-lo na escolinha. Posso dizer que estou me surpreendendo, pois ele está amando a escola! Já se passaram 8 meses de muita alegria. Sou completamente feliz e falo que nosso Deus sabe de todas as coisas. Se Ele permitiu que passarmos por provações, muitas dores e muitas angústias é por Ele sabe que somos capazes de vencer. Por isso falo a todas endoamigas para não desanimarem e que nunca desistem dos seus sonhos mesmo que para alguns possa ser impossível.

Agora, quero dividir com vocês minha grande novidade: estou com 14 semanas de minha segunda gestação. Sim, mesmo sem o ovário direito e tomando anticoncepcional, engravidei naturalmente. Engravidar tão rapidamente não estava em nossos planos, mas se Deus permitiu, vamos ser capazes de cuidar de mais um Milagre!! Ainda estamos na expectativa do sexo, mas de coração não tenho preferência e está nas mãos de Deus... porém estou bastante ansiosa. Confesso que fiquei assustada no começo, mas ao mesmo tempo muito feliz. Hoje falo com muito orgulho: “Mesmo com um único ovário e tendo baixa perspectiva de engravidar, consegui engravidar naturalmente mesmo com endometriose. Minha fé foi essencial para essa grande vitória, já que pela medicina seria impossível.

Quero agradecer à Caroline Salazar pela oportunidade de contar a minha história e poder passar esperança às endomulheres. E também pelo carinho e atenção que ela teve comigo no momento mais difícil da minha vida. Jamais vou esquecer.  Agradeço também às doutoras Lucy Kayano e Terezinha Togoro e ao doutor João Paulo Roveda por sempre estarem comigo, por confiar em minhas dores em minhas angústias e por nunca desistirem de mim. Agradeço a minha família e aos amigos. O apoio de vocês foi muito importante. Serei eternamente grata. Beijo carinhoso!”


6 comentários:

  1. Emocionante! Obrigada Carol e ana Paula por renovar minhas esperanças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FELIZ EM PODER COMPATILHAR... EDNA CRIS LOGO SERA SUA VEZ... BJS ... ANA PAULA NUNES

      Excluir
  2. ola ana paula linda sua historia..gostaria de saber aonde vc fez o seu tratamento, tbm tenho endometriose severa e infertilidade e so tenho 23anos...agradeço desde ja

    ResponderExcluir
  3. Também me comoveu sua história, Ana Paula. Que bom que você, mesmo com tantos problemas, conseguiu realizar seu sonho. Eu estou na luta, já fiz tratamento dos cistos por um ano com progesterona, mas não resolveu. Tive que fazer videolaparoscopia e descobri que o estrago era pior do que parecia: endometrioses ovariana, peritoneal e leiomiomas. Perdi a trompa esquerda, mas os ovários foram preservados. Estou prestes a iniciar tratamento com Zoladex por um ano e após, fazer nova laparoscopia. Faço 34 anos daqui a um mês e estou ficando meio que desesperada, achando que não vai dar tempo. Estou na fase de aceitação, mas espero conseguir superar, assim como você conseguiu.

    ResponderExcluir
  4. Que história linda, que Deus abençoe sua vida Ana Paula. Eu achei que meu problema era grave, mas percebo que tem pessoas com problemas maiores que o meu e mesmo assim nunca deixaram de desistir e o principal acreditar em Deus. Obrigada por edificar ainda mais minha fé e não desistir do sonho de ser mãe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca desista Tatiane ! Nosso Deus é um Deus do impossivel... bjs Ana Paula Nunes

      Excluir