terça-feira, 2 de dezembro de 2014

DAVID REDWINE: O SISTEMA IMUNOLÓGICO E A ENDOMETRIOSE!!

Eu e o doutor e cientista americano David Redwine, em sua passagem ao Brasil
No quarto texto da série desvendando a teoria de Sampson com o médico e cientista americano David Redwine, ele discorre sobre a endometriose e o sistema imunológico. Como a maioria das mulheres, cerca de 90%, tem a chamada menstruação retrógrada, porque apenas 10 a 15% delas têm endometriose? Bom, a "culpa" seria do sistema imunológico, mas será mesmo? Será certo colocar toda a culpa nele? É isso que o doutor Redwine vai falar hoje, Um texto, como sempre, imperdível para entender melhor a endometriose. Leia a entrevista completa e exclusiva em sua passagem ao Brasil e os primeiros textos da série "Quem foi Sampson e qual é a sua teoria para a endometriose?" "Os problemas com a teoria de Sampson - é uma teoria ou uma desculpa? e Se a teoria de Sampson não funciona, então, o que causa a endometriose? Abaixo, um vídeo educativo sobre nosso sistema imunológico. Assistam e conheçam mais sobre o nosso corpo! Beijo carinhoso!! Caroline Salazar

Por doutor David Redwine 
Tradução: Alexandre Vaz
Edição: Caroline Salazar

O sistema imunológico e a endometriose: 

Você provavelmente já leu bastante sobre o sistema imunológico e a endometriose. Se após ler qualquer dos artigos científicos sobre o assunto, você ficou confuso(a), seja bem vindo ao clube. A literatura sobre o sistema imunológico e a endometriose é esotérica, confusa e frequentemente contraditória. Para além disso, a literatura sobre esse assunto geralmente comete o pecado número 4 da literarura sobre endometriose: as conclusões são geralmente ajustadas para suportar a teoria de Sampson da menstruação retrógrada como origem da doença.

"Pecados da literatura sobre endometriose”, segundo o Dr. Redwine:

1.      Desconhecimento das múltiplas aparências visuais dos focos;

2.     Atenção dirigida à infertilidade ao invés da dor;
3.      Conclusões obtidas a partir da resposta dos sintomas ao invés da resposta da doença;
4.     Tentativa de suportar a teoria de menstruação retrógrada de Sampson por todos os meios, apesar das evidências sobre ligação inicial;
5.      Os resultados das terapias cirúrgicas são baseados na opinião do cirurgião, e não validados por biópsias ou estudos de acompanhamento pós-operatório.

Revisão ao sistema imunológico:

Vamos fazer uma pequena revisão sobre o sistema imunológico. Trata-se do sistema funcional dos nossos corpos que identifica o que é nosso e o que não é, recorrendo a certas características da superfície da célula. Ao “sentir” uma célula, o sistema imunológico determina se essa célula pertence a uma determinada área do corpo ou não. Se não pertence, ele entra em ação para eliminar a célula estranha. Essas ações são em grande parte controladas por glóbulos brancos, embora anticorpos que circulam no corpo também sejam importantes.

Alguns glóbulos brancos possuem a capacidade de matar as células estranhas de imediato, enquanto que outros glóbulos brancos precisam ser recrutados e treinados para matar esses intrusos. Esses glóbulos brancos recrutados são chamados ao local da “briga” por químicos libertados por um tecido machucado ou por outros glóbulos brancos.

Enquanto engajados na batalha local, o corpo também monta uma reação sistêmica com substâncias que surgem na corrente sanguínea como reação à inflamação e ferimentos. Assim, um cientista tem a possibilidade de medir muitas variantes principais da resposta normal à lesão: grupos de glóbulos brancos, bem como químicos sistêmicos inflamatórios e hormonais. Efeitos primários ou secundários?

O sistema imunológico é obviamente importante em tudo o que se passa no nosso corpo, e podemos esperar ver mudanças acontecendo com qualquer alteração do estado de saúde. O problema é determinar se as alterações do sistema imunológico que foram registradas em casos de endometriose são primárias (querendo dizer que a portadora nasceu com eles) ou secundárias (são o resultado de uma lesão devido a endometriose), ou talvez um pouco de ambos.

O meu palpite é que seja um pouco de ambos, com o dano real resultando do pecado número 4. Com a atividade celular reduzida na sua capacidade para eliminar intrusos (nota do tradutor: como se fosse um soldado sem arma), especialmente em estágios avançados da doença, parece ser um defeito primário, já que isso parece se manter após a endometriose ter sido tratada. A produção local e sistêmica de químicos reativos parece provável que seja secundária à inflamação e lesão, já que o sistema imunológico está fazendo o seu trabalho.

Porque seria surpreendente que mulheres com um processo tão irritativo como a endometriose na pelve tenham mais células inflamatórias, químicos e fluído nas suas cavidades pélvicas? No entanto, essas respostas normais do sistema imunológico foram destacadas como sendo importantes de alguma forma na origem imunológica da endometriose, em vez de serem consideradas como tendo origem em um sistema imunológico normal, saudável e fazendo o seu trabalho.

Substâncias que afetam o sistema imunológico adversamente, tais como, dioxinas ou radiação, foram associadas com um acréscimo da frequência e da gravidade da endometriose em experimentos com animais, embora um relatório recente tenha falhado na sua demanda de descobrir um efeito de Bifenilos Policlorados - conhecidos por PCB (nota da editora: são compostos organoclorados xenobióticos distribuídos como poluentes do solo, da água e do mar) em macacos.

Toxinas ambientais tais como esses são produtos principalmente do final do século 20, contudo a endometriose é conhecida muito do seu surgimento.


Como é suposto o sistema imunológico permitir a ocorrência da endometriose?

É desse jeito que as pessoas estão tentando fazer: passar o camelo pelo buraco da agulha  como se o sistema imunológico fosse a origem da endometriose. A teoria é que durante o fluxo menstrual, algumas células endometriais do revestimento do útero são levadas em sentido contrário junto com o fluxo menstrual para fora das trompas. O sangue e as células pingando na pelve, onde as células endometriais  se grudam na superfície peritoneal, ajudadas por um sistema imunológico deficiente.

Tem sido postulado que mulheres “normais” com sistemas imunológicos “normais” possuem um tipo de arsenal imunológico que permite que seus sistemas imunológicos eliminem essas células carregadas pelo refluxo. (A pergunta óbvia é: alguém já encontrou provas desse arsenal imunológico na pelve das ditas mulheres “normais”, tendo em vista que o alegado processo desempenha um papel tão importante na teoria do sistema imunológico e da endometriose? Não se afobe tentando responder a essa questão, jamais alguém buscou tão importante peça do puzzle).

Tendo em vista que as portadoras supostamente possuem um sistema imunológico tão decrépito (embora na verdade se tenha demonstrado que a resposta do sistema à endometriose é normal, vigorosa e apropriada) as células endometriais não são atacadas e são permitidas a permanecerem grudadas, para assim poderem se implantar, proliferar e evoluir para endometriose.

O salto de fé fatal dessa teoria continua sendo a aparente falta de provas contundentes de que a ligação inicial das células endometriais sequer ocorre. Afirma-se que as células endometriais estão se grudando aos bilhões e bilhões por todo o mundo a cada dia, contudo, prova da existência dessa ligação inicial das células endometriais continuam em falta.

Deveria ser imensamente fácil descobrir essas provas – seriam realizadas biópsias aleatórias do peritônio pélvico e se fossem recolhidas amostras suficientes, deveríamos encontrar essas células grudadas na superfície pélvica por toda a parte. Ainda assim, nenhum dos relatórios sobre endometriose "microscópica" durantes as décadas de 1980 e 1990 revelou provas da existência de uma única célula endometrial entre dezenas e dezenas de estudos realizados em portadoras.

Porque será algo que supostamente está ocorrendo todo o tempo, é tão difícil de encontrar? (Talvez porque nem chegue a ocorrer?) Ainda que o modelo facilitativo da imunodeficiência estivesse correto, ainda não existe nenhuma terapia imunológica baseada nesse modelo. Alguns pesquisadores  estão apontando para os efeitos imunológicos do danazol (nota da editora: esteroide sintético que impede a liberação das gonadotrofinas) como sendo parte importante da terapia imunológica da doença.

Contudo, o danazol está disponível faz quase um quarto de século. Se o danazol fosse a resposta, todos nós teríamos arrumado as chuteiras nos aposentado e ido para casa.

Para finalizar, se o sistema imunológico das portadoras estivesse decrépito, deveriam existir outros problemas visíveis. Mas câncer, infecções e doenças autoimunes não ocorrem mais frequentemente entre as portadoras, e raramente uma portadora chegou no meu consultório para ser operada com queixas de infecções de fungos crônicas.

Nota do Tradutor:

Quando eu era garoto, vivíamos um tempo de alegria e inocência, em que as coisas bonitas eram suficientes. Eu lembro que a gente corria pra televisão (na época ainda a preto e branco) e ficava esperando começar os desenhos animados, que eram a alegria da gurizada da época. Mas não tinha a violência que existe hoje, e em todos existia algo que a gente aprendia. Eram histórias que pretendiam passar valores morais que ajudassem na formação dos jovens. Não tinha nada desses DragonBall, cheios de destruição gratuita. E a gente aprendia até coisas que seriam úteis na escola, como é o exemplo desse vídeo onde de uma forma um pouco ingênua se mostram mecanismos e agentes do corpo humano como personagens humanizadas, mas que acaba sendo fascinante e uma grande introdução para quem não entende nada de biologia, e assim memoriza mais fácil. Saudade desse tempo. Aproveitem! Dá bem para puxar os filhos para assistir junto com você e inclusive ter um tempinho juntos. Para mim é bem melhor do que assistir as porcarias que passam na TV hoje em dia. Talvez um dia desses as pessoas voltem a olhar para a televisão como um serviço público ao invés de uma busca desenfreada de audiências onde vale tudo para ganhar dinheiro. E que voltem a passar seriados assim, com valores morais e educativos, sem necessidade do recurso à violência para serem interessantes. Hoje, pais que são da minha geração, passam na banca e compram esses seriados com quase 30 anos em DVD para mostrarem para seus filhos as coisas bacanas que tinha quando eram da idade que os guris têm agora. E olha que a gurizada gosta e até prefere.

Video educativo sobre o sistema imunológico dublado em português:


Um comentário:

  1. Oi caroline Salazer. Boa noite. Gostaria que se for possivel, alguma ajuda. Minha filha de 34 anos, desde os 12 sofre com muitas dores. Descobrimos muito tarde tratar de endometriose. Ha quatro anos ela fez uso de 3 injeçoes de Zoladex. Estavamos com um medico, se e que pode-se chamar de medico. Jose Renato Zuard. que iria fazer uma videolaparoscopia. mas cancelou a cirurgia pois ia para a Disney de ferias com a familia. Ela tem feito uso de Tamisa mais primolut nor, para nao mestruar. ja fez duas videohisteroscopia. Mesmo assim nao melhorou muito. Ja tomou todos os tipos possiveis e imaginaveis de anticoncepcionais. Agora nao quer saber de mais nada, so tirar o utero. Me de uma ajuda, ficarei eternamente grata.

    ResponderExcluir