segunda-feira, 9 de julho de 2012

MATTHEW ROSSER: O CIENTISTA QUE COMEÇOU A ESTUDAR A ENDO POR AMOR À SUA MULHER!


Julho será um mês de duas grandes estreias no A Endometriose e Eu. Aliás, esse é um mês especial pra mim, é o mês de meu nascimento e de meu primeiro renascimento, pois foi quando fiz minha primeira cirurgia de endometriose. A primeira novidade já começa hoje. Há três meses fuçando na net em busca de novidades sobre endometriose, cai no blog de um cientista inglês, o Endo-Update. Comecei a ler e, a cada post, eu ia adorando ainda mais. Apesar de estar há 37 dias livre das dores fortes da endo, o meu distúrbio do sono, causado pelo meu diagnóstico tardio, continua, assim como as dores musculares e o pula-pula desses músculos.  E, graças à minha insônia, eu fico boa parte da noite, procurando coisas novas para contar aqui. Afinal, o blog é o mais lido e o que mais tem seguidores mundo afora. E o blog de Matthew é um de meus grandes achados. Desde então, Matthew e eu conversamos pela internet. Já no meu primeiro contato, ele adorou tanto o blog e as informações que têm aqui, que já o colocou em sua lista de favoritos. Nossa isso pra mim foi algo incrível e um grande reconhecimento de meu trabalho. Minha ideia inicial era fazer uma pequena apresentação dele e já traduzir alguns de seus posts, mas me surpreendi muito com a história de como Matthew começou a estudar a doença e, pasmem, foi por amor à sua mulher. Uma história de amor muito além da endometriose. Uma história de um homem que quer salvar sua esposa. E isso é algo inédito no blog. E, como uma das principais funções do blog, é levar esperança, fé e amor às portadoras, nada melhor do que compartilhar o amor de um homem por uma mulher, que o levou a estudar uma doença, que ainda é a mais enigmática da história da medicina. Com esta atitude, as pesquisas e os artigos que Matthew publica em seu blog, irão ajudar não só sua esposa, mas todas as portadoras de endo do mundo, que, segundo a ONU (Organizações das Nações Unidas) somos 176 milhões. A partir de hoje, o A Endometriose e Eu vai traduzir, com exclusividade no Brasil (sim, eu pedi isso ao Matthew, para ninguém copiar a ideia!) os artigos deste grande homem e cientista, que conheceu as dores da endometriose ainda criança, ao ver sua mãe incapacitada pela doença. Espero que esta história inspire muitas outas pessoas, parceiros, familiares, dentre outros, a ajudarem às mulheres que sofrem com essa terrível doença. No fim do mês, mais uma bela novidade espera por você aqui. Beijos com carinho!!

“Minhas primeiras memórias sobre a endometriose são de ver minha mãe incapacitada com a dor que a doença lhe causou. Eu cresci aprendendo exatamente como a endometriose afeta a vida de uma mulher, como um todo. Foram lições valiosas, mas foi muitos anos depois que eu percebi o quão bem essas lições me serviriam. Cerca de nove anos atrás, minha esposa também foi diagnosticada com endometriose. Eu me lembro do exato momento em que o médico chegou à sua cama de hospital, depois de sua operação e nos deu o diagnóstico. Lembro-me de tudo sobre esse momento e eu sei porque eu me lembro tão bem: porque este foi o momento em que meu destino estava decidido. Eu sabia que, se a doença foi determinada a assolar a vida dessas mulheres que eu mais amo (minha mãe e minha esposa), eu não podia simplesmente ficar de braços cruzados. Foi a partir deste momento que tomei a grande decisão de minha vida: dedicar o resto de meus dias às pesquisas sobre endometriose. Felizmente, eu tive uma licenciatura em ciências biológicas, o que me dava um bom embasamento ​em como realizar essa pesquisa. Então, isso é o que eu fiz, eu li todos os livros que pude, artigos e qualquer outro papel que tinha a palavra endometriose e eu pude ter em minhas mãos. Algum tempo depois, quando um velho tutor de meu me ofereceu uma oportunidade para pesquisar endometriose adequadamente para uma pós-graduação, eu agarrei a chance e, em 2011, me formei com o meu mestrado em pesquisa de endometriose. Foi durante este curso que eu descobri que havia uma quantidade surpreendente de pesquisas já realizadas sobre a endometriose, mas seus resultados eram muito raramente relatados ao público. 


Então, em 2009, comecei o meu próprio blog com o objetivo de obter todas as pesquisas e, também, o mais importante: ouvir as mulheres que sofrem de endo. Recebo um feedback ótimo do meu blog e vou continuar a escrever o máximo que eu puder e quantas vezes eu puder. Estudar sobre a doença foi uma maneira de ganhar uma nova perspectiva sobre a endometriose. Isso me permitiu conversar com os médicos da minha esposa em seu nível. O ginecologista da minha esposa é um professor, com o qual eu venho conduzindo muitas pesquisas, e esperemos que muitos outros estudos se virão no futuro. Infelizmente, minha esposa não está livre da dor ainda, mas como eu estou conhecendo mais e mais sobre as opções de tratamentos disponíveis, estou confiante que, em breve, ela vai receber tratamento eficaz que a deixará sem dor. Nunca me esqueci das primeiras lições que aprendi quando criança, que ressoou profundamente em mim e, particularmente, que a endometriose é uma doença que afeta a mente, tanto quanto ela destrói o corpo. As limitações físicas que a doença pode causar em uma mulher, significa que você tem de entendê-la tão bem tanto quanto um bom profissional. É por isso que eu acho tão importante fazer parte de grupos de apoio on-line de endometriose, pois é aqui que você começa a ler sobre os problemas reais enfrentados pelas mulheres com endometriose e ensina coisas que você nunca iria aprender com um livro didático. Considero-me afortunado por causa das oportunidades que me foram oferecidas, a partir das quais, eu pude entender melhor esta doença. Porém, sei que alguns homens acham que é muito difícil estar ao lado de uma mulher com endometriose, porque muitos se sentem impotentes ou luta com as limitações de suas parceiras. Para eles, eu diria o melhor tratamento que uma mulher pode ter: é o seu apoio. Abraços com carinho, Matthew Rosser.”

English Version:

“I’ve known about endometriosis in some way or another all my life, some of my earliest memories are of seeing my mother incapacitated with the pain it caused her. I grew up learning exactly how endometriosis affects a woman’s life and relationships; they were valuable lessons, but it wasn’t until many years later that I realised how well these lessons would serve me. Around nine years ago my wife was also diagnosed with endometriosis, I remember the exact moment the doctor came to her hospital bed after the operation and gave us the diagnosis. I remember everything about that moment; and I know why I remember it so well, because this was the moment my fate was decided. I knew then, that if this disease was determined to blight the lives of those women I love the most, I could not just stand idly by, the rest of my life would now be dedicated to researching endometriosis.  Fortunately I had a degree in biological science so was reasonably well versed in how to carry out such research. So, that’s what I did, I read every book, article and paper I could get my hands on. Sometime later, when an old tutor of mine offered me an opportunity to research endometriosis properly for a postgraduate qualification I jumped at the chance and last year I graduated with my Masters degree in endometriosis research.  


It was during the course of my research that I found there was a surprisingly large amount of interest in endometriosis from the scientific community, but the results of this was very rarely reported to the public. So in 2009 I started my own blog with the aim of getting all the most important research to the people who needed to hear it, namely the endo sufferers themselves. I’ve received some great feedback from my blog and I’ll continue to write as much as I can, as often as I can. Knowledge was a way to gain a new perspective on endometriosis. It allowed me to talk to my wife’s doctors on their level (in fact my wife’s gynaecologist is a professor whom I have been conducting some research with and hopefully more will follow in the future). Unfortunately my wife is not pain free yet, but as I am becoming more and more knowledgeable about the treatment options available, I am confident that she will receive effective treatment soon. I never forgot the early lessons I learnt as a child, it resonated particularly deeply in me that endometriosis is a condition that impacts the mind as much as it does the body. The physical limitations it can put on a woman mean that you have to understand it from a personal as well as professional point of view. That’s why I find it so important to be part of online endometriosis support groups, as it is here you get to read about the real problems facing women with endometriosis and it teaches things you would never learn from a textbook. I consider myself lucky because of the opportunities afforded to me to better understand this disease, but I know some men who find it hard because they feel helpless or struggle with their partners limitations. To them I would say, the best treatment a woman can have, is your support. Hugs, Matthew."

14 comentários:

  1. Que idéia maravilhosa!!! Adorei, que linda história.. tenho certeza que irá trazer muitos frutos e informações para nós portadoras.
    Parabéns Carol!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patricia!
      Espero que esteja tudo bem com você.
      Pode ter certeza que trará muitas informações, já que ele é dedicado a pesquisar a doença, a compreende por ter tido pessoas tão queridas para ele com a endo.

      Beijos, com carinho
      Hosana Santana

      Excluir
  2. Liliane Coutinho9 de julho de 2012 19:21

    Que maravilha, que fantástico!! Não há nada melhor que o apoio da família e amigos para nós portadoras dessa doença. Que o Senhor ilumine a vida desse homem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Liliane!
      Espero que esteja tudo bem com você.
      Concordo com você, o apoio dos familiares e amigos é muito importante para quem é portadora de endometriose, é uma pena que nem todas têm esse apoio...

      Amém. Ele merece mesmo ser iluminado!

      Beijos, com carinho
      Hosana Santana

      Excluir
  3. Muito bom!! Gostaria que todos Homens pudessem ler, e assimilar este gesto de amor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gil!
      Espero que esteja tudo bem com você.
      Seria muito bom se todos homens e também algumas mulheres lessem esse texto. Já que a endometriose ainda não é reconhecida e em muitas casas tem um portadora sofrendo e ao mesmo tempo chorando pela falta de compreensão de quem tanto ama.

      Beijos, com carinho
      Hosana Santana

      Excluir
  4. bom dia!
    encontrei por média acaso este blog atraves do facebook de endometriosis angel...acho notavel a vossa coragem e luta a todos os niveis...é graças a pessoas como voces q conseguimos avançar e descobrir cada ves mais sobre essa doença q nos impede a ter uma vida "normal"...a historia q relata a sua propria infancia e da luta com a sua mulher,é notavel pois muitos como maridos, familia e amigos nao reajiriam dessa maneira...fico feliz por existir pessoas como voces nesse mundo...um abraço para tds

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andreia!
      Espero que esteja tudo bem com você.
      Seja bem vinda ao blog!
      Posso dizer que todos juntos, ficamos com esperança por dias melhores para as portadoras de endometriose.

      Beijos, com carinho
      Hosana Santana

      Excluir
  5. Boa noite!

    Que bom saber desse espaço dedicado a essa doença que literalmente vem destruindo minha vida e o que é pior meus sonhos. Tenho o diagnostico de endo a +/- 10 anos e já fiz 5 cirurgias, tenho aderencias nos ovarios, utero e intestino e mês passado tive a pior noticia que eu poderia escutar ... meu medico q me acompanhou na maior parte desse problema... disse para eu desistir de ser mae biologica e que eu retirasse tudo... fiquei um caco! pois eu sempre me agarrei a todos os fios de esperanças... bom ... nesse momento to muito deprimida, pois a minha ultima esperança é uma inseminação, só que nao tenho dinheiro pro tratamento. Não sei o que pensar... pq agora to tendo que repensar toda minha vida e simplesmente me forças a pensar em outros sonhos e esquecer os sonhos de uma vida inteira. Espero realmente que esse seu cantinho me ajude a superar essa imensa dor. Abraços Luciana Rocha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luciana!
      Você já procurou a opinião de outro profissional? Porque não é bom tomar decisões como essa apenas com uma opinião.
      Não deves parar de sonhar, os sonhos em muitas das vezes alimenta nossa alma.
      Tenha força para lutar e muita fé sempre.

      Abraço.
      Hosana

      Excluir
  6. Chorei com esse texto. Como é bom saber q existem pessoas dedicadas como Mathew e vc a exterminar essa doença horrível. Beijos da Taís.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thais!
      Espero que esteja tudo bem com você.
      É lindo o trabalho e a dedicação desse homem.

      Beijos, com carinho
      Hosana Santana

      Excluir
  7. Meninas, preciso contar meu caso para todas...sofro de dores insuportaveis devido a endometriose desde outubro 2011 e nenhum remédio conseguiu nem se quer aliviar meus sintomas...meu marido e familiares, tirando minha mãe, achando que sou louca e invento doencas... Essa literalmente e muito dificil... Estou fazendo tratamento espiritual que tem me ajudado, mas o incrível e que fiz o exame Iridologia, da íris, e detectou uma inflamação no endometrio ... A receita que foi indicada sao feito de ervas...pasmem meninas, tem uma semana que estou tomando e estou muito melhor...
    Estou extremamente confiante que vou me libertar...

    Segue aí a dica PRECIOSA...

    Tomar durante 50 dias o seguinte cha, sendo 1 litro por dia...

    Uma colher media de Agoniada
    Uma colher media de Calendula
    Uma colher media de Tuia

    Deixar ferver por 3 minutos, coar, e tomar o dia todo nos intervalos...

    As ervas vcs encontram em qualquer casa de produtos naturais..

    E um antiinflamatório milagroso...


    Boa sorte meninas e forca para nos ...


    Cris Martins

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cris!
      Espero que esteja tudo bem com você.
      Bom saber que está bem, que continue assim...
      Obrigada pela dica!

      Beijos, com carinho
      Hosana Santana

      Excluir