terça-feira, 12 de outubro de 2010

SESSÃO DE ACUPUNTURA, SUSPEITA DE FIBROMIALGIA E FERIADO PROLONGADO!!

Aproveitei o feriadão para descansar um pouco. Agora não trabalho mais nos fins de semana e, muito menos aos feriados. Na quinta-feira, dia 7, comecei a acupuntura gratuita na ABA – Associação Brasileira de Acupuntura, na Vila Mariana, na rua abaixo do colégio onde cursei o segundo grau, quando mudei para São Paulo, em 1994. Passei lá em frente e lembrei alguns momentos daquela época. A Dra. Eleonora Brandão, professora da ABA e que faz mestrado na UNIFESP,foi quem me convidou para começar o tratamento com as agulhas. E, foi em uma das minhas sessões de fisio que a conheci, antes mesmo da minha cirurgia. O mestrado da Eleonora é justamente na dispareunia. E, claro, que colocou algumas agulhas para isso também. Há semanas que o meu ombro dói muito e, por isso, nem a tempestade que caiu na cidade, impediu-me de enfrentar o trânsito e o caos de Sampa. Quase duas horas de trânsito e, ufa, cheguei! Após a recepção de Eleonora, ela me encaminhou ao Renato, o aluno que me atendeu. Lá, os atendimentos gratuitos, como o meu, são feitos por alunos que estão prestes a se formar. Por mais de uma hora, Renato me entrevistou. Só depois, após escolher de acordo com a entrevista e, com a Eleonora,todos os pontos aonde seriam aplicadas as agulhas foi que ele finalmente as colocou em meu corpo. Pasmem 40 agulhas! Até eu me assustei, mas elas me relaxaram e muito. Ainda mais depois da notícia que recebi, um dia antes, na quarta-feira. Fui ao ortopedista para ver aquela tal artrose que apareceu no meu RX do tórax. Após me examinar mais ou menos, o médico disse que eu tenho suspeita de fibromialgia. Aliás, eu mesma dei o diagnóstico. Antes de saber da endometriose, eu suspeitava que tivesse fibromialgia. Quando o médico disse-me isso, caí aos prantos. Ele e minha mãe, que também tinha uma consulta e, por isso entrou comigo, ficaram me olhando com uma cara. Sei que o pior já passou, mas pouco se sabe sobre a fibromialgia. Na hora pensei... sou portadora de duas doenças enigmáticas!? Quando saí de lá liguei correndo para a Ana Paula Bispo, fisioterapeuta da UNIFESP, pedindo ajuda para indicar um reumatologista da UNIFESP. Para o tratamento de fibromialgia, o reumatologista é o médico-mestre, mas por conta das fores dores musculares, cerca de cinco ou mais especialidades tratam a doença. Por um tempo fiquei triste, mas sei que o pior já passei. Esse ortopedista passou um remédio forte, tarja preta, que também trata a epilepsia, para eu tomar duas vezes ao dia. E, como na quinta-feira fiz a acupuntura, as dores sumiram, mas com o estresse do dia a dia, elas já voltaram. Já estou ansiosa para a minha segunda sessão de acupuntura. Eu conto tudo!! Mas amanhã tenho mais uma sessão de fisio. Beijo carinho a todas!!

3 comentários:

  1. Ana Carolina Bocci19 de outubro de 2010 22:53

    Gostaría de te desejar boa sorte!
    Minha irmã de 18 anos está sofrendo horrores com endometriose. Há 2 anos não estuda, não tem amigos, não tem ânimo...a única coisa que tem são dores. E que dores!
    Eu e minha mãe ficamos olhando, dando aqueles remédios absurdos de fortes e sofrendo junto. Nos sentindo impotentes! Como sofremos com ela!
    Amanhã show do Green Day em SP. Banda q ela mais ama no mundo e ela não pode ir pq está com dores terríveis!!!Ela tava querendo ir e escutar o show da enfermaria...Es estou desesperada...
    Isso é vida pra uma adolescente???
    Vc que é da capital e tem acesso a tantos lugares específicos....Pelo amor de Deus, como posso ajudar minha irmãzinha a ter uma vida???
    Melhoras pra vc!
    Bjo
    Carol

    ResponderExcluir
  2. Ana Carol, querida! Respondi o seu comentário no post publicado no dia 21. Preciso saber como está o tratamento da sua irmãzinha. Sei exatamente o que é isso e, é muito doloroso e difícil ter endometriose. Imagina sofrer aos 18 anos. A minha também começou com esta idade, mas eu ainda não sofria com muitas dores, apenas a 'tal cólica', que era forte o suficiente para me deixar de cama. Diga-me tudo em relação ao tratamento de sua irmã, que vou pedir ajuda para médica na UNIFESP. Onde vcs moram? Fala para a sua irmã, que o mais importante ela tem: o amor, o carinho e a compreensão, tanto sua quanto de sua mãe. Ah, e ela tem que ir ao show do Green Day. Pede a ela para tomar remédio para dor e ir. É uma oportunidade única. Tenho o maior prazer em ajudar a sua irmãzinha. Mande e-mail para carolinesalazar7@gmail.com contando como está o tratamento dela. Beijos com carinho!

    ResponderExcluir
  3. Carol não pense que está sozinha ! Eu pensei que era a única pessoa "zicada " pra ter duas doenças malucas como a endometriose e a Fibromialgia . Sofro com a endo desde a primeira vez que menstruei aos doze anos e só fui diagnosticada aos 28 anos (pense no sofrimento e na dor esses anos todos ). Desde os 6 anos de idade que tenho formigamento nas pernas e no quadril fiquei anos passando com ortopedistas já fui diagnosticadas erroneamente com várias patologias no joelhos coluna... e por aí vai nunca melhorando até que engravidei (quase um milagre apesar da endo) depois da gestação as dores só poiraram e mudaram de lugar e finalmente depois de 2 anos apoós o parto da minha filhinha descobrir que tenho fibro . Não me acho uma coitada ,mas zicada ,ainda tenho renite alérgica ...mas enfim tento levar uma vida normal respeitando sempre os meus limites ,as vezes acho que posso fazer mais mas não posso , outras acho que não posso e acabo conseguindo ...aprendi a viver assim : um dia de cada vez !

    ResponderExcluir