domingo, 29 de janeiro de 2017

"SAÚDE E BEM-ESTAR": MITOS E VERDADES SOBRE A PÍLULA DO DIA SEGUINTE!!

imagem cedida por Free Digital Photos

Há dois meses de completar sete anos no ar, o A Endometriose e Eu abraça não só as endomulheres, mas toda e qualquer mulher e ou menina que se identifica com os textos postados no blog. Pensando em nossas leitoras jovens há alguns meses comecei a postar no blog temas relacionados também à saúde da mulher. O blog é e sempre será especializado em endometriose, porém precisamos ajudar àquelas que nos procuram. Além dessas jovens de hoje, amanhã nossas filhas também serão adolescentes e eu quero muito que ela receba e absorva informações importantes para seu bem-estar. Há tempos que a pílula do dia seguinte é usada como recurso para evitar uma gravidez, especialmente, pelas mais jovens, mas quais seus benefícios e malefícios? Esse método é considerado um anticoncepcional? Para falar sobre o assunto convidei a doutora Graciela Morgado, ginecologista especializada em endometriose, que aborda alguns mitos e verdades da PDDS. Dentre eles está seus efeitos colaterais, até quando ela deve ser tomada para manter seu efeito e se a eficácia é a mesma de um anticoncepcional comum.Beijo carinhoso! Caroline Salazar 


Por doutora Graciela Morgado 
Edição: Caroline Salazar

Mitos e verdades sobre a Pílula do Dia Seguinte (PDDS)

Muitas pacientes me perguntam sobre a pílula do dia seguinte, seus efeitos e quando ela é indicada.

Em primeiro lugar, é importante saber que a pílula do dia seguinte não é um método anticoncepcional e, por isso, não deve substituir os anticoncepcionais regulares. Ela é um método para emergências e só deve ser ingerida se o casal não se previniu durante o ato sexual

Separei alguns mitos e verdades muito comuns sobre esse assunto que podem ajudar vocês:

1 - O efeito é mais garantido se a pílula for usada em até 24 horas depois do ato sexual? (Verdade)
A indicação é que o método seja utilizado em até 72 horas após o ato sexual. Depois desse período, o medicamento não fará mais efeito, mas não causará problemas ao bebê. Ingerir a primeira dose da pílula em até 24 horas aumenta a eficácia.


2 - Esse método é abortivo? (Controverso)
A contracepção de emergência (nome que PDDS também é conhecida) é droga que atua impedindo a ovulação ou fertilização e possivelmente uma implantação de um blastocisto  (nome dado ao embrião que chega ao útero para sua implantação). A Organização Mundial da Saúde (OMS), bem como a Legislação Brasileira consideram gravidez apenas após a adesão do embrião à parede uterina. Sendo assim, para muitos, ela não pode ser enquadrada como método abortivo. Porém, para alguns especialistas e religiosos, a Pílula do Dia Seguinte é abortiva, pois age após à fecundação do espermatozoide no óvulo.

3) Os anticoncepcionais comuns tem o mesmo efeito da pílula do dia seguinte. (Mito)
Em primeiro lugar, os dois métodos tem composições bem diferentes, além disso, depende da dosagem do anticoncepcional para se ter a mesma eficácia, por isso esta técnica é desorientada.

4) Usar a pílula do dia seguinte com frequência pode diminuir a sua eficácia. (Verdade)
Se a mulher usa a pílula do dia seguinte com muita frequência e em períodos muito próximos, existe sim uma menor eficácia.

5) A pílula do dia seguinte pode causar fortes efeitos colaterais. (Verdade)
É comum muitas mulheres apresentarem os seguintes sintomas: náuseas, vômitos, sangramentos e até irregularidades menstruais. Por isso, só a utilize em casos extremamente necessários, pois como o próprio nome diz: ela é uma contracepção de emergência!! Portanto, procure seu ginecologista e escolhem juntos o anticoncepcional ao qual você se adapte melhor.



Sobre a doutora Graciela Morgado Folador:


Ginecologista e obstetra, Graciela Morgado Folador tem Pós-graduação em Endometriose, em Cirurgia Minimamente Invasiva, em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida e Especialização em Vídeo-histeroscopia. É membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH), da Sociedade Brasileira de Endometriose (SBE) e da Advancing Minimally Invasive Gynecology Wordwide (AAGL). É médica-colaboradora do setor de Endometriose do Hospital das Clínicas de São Paulo, USP. Siga a fanpage da doutora Graciela

Nenhum comentário:

Postar um comentário