domingo, 13 de novembro de 2016

SÍFILIS: O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O SURTO DA DOENÇA NO BRASIL!

Fonte imagem: blog doutora Graciela Morgado
Nas últimas semanas o número dos casos de sífilis aumentou muito e foi manchete nas principais mídias brasileiras. Para explicar sobre esse surto no Brasil e também o que é essa doença sexualmente transmissível - que também pode ser transmitida de mãe para filho, em caso de gestantes ou no parto -, seus sintomas, os estágios da doença, o tratamento e a prevenção, a ginecologista, obstetra e especialista em endometriose doutora Graciela Morgado preparou um texto especial para os (as) leitores (as) do A Endometriose e Eu. Beijo carinhoso! Caroline Salazar

Por doutora Graciela Morgado
Edição: Caroline Salazar


O que você precisa saber sobre o surto da sífilis no Brasil?

No fim de outubro, o Ministério Público afirmou que o Brasil está passando por uma epidemia de sífilis. De 2010 até aqui foram registrados 230 mil novos casos dessa patologia, entre 2014 e 2015 houve um aumento de 32,7%.

As causas para o aumento recente dos casos ainda estão em investigação, no entanto, aparentemente as gerações mais jovens estão se protegendo menos na hora do sexo, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2012 75% dos entrevistados usaram preservativo em sua última relação; no ano passado, 66% fizeram uso da camisinha.

A diminuição do uso do preservativo, infelizmente, é uma tendência global e está causando o reaparecimento de antigas DSTs, visualizado além do Brasil, nos Estados unidos e na Europa. A camisinha, seja a feminina ou a masculina, ainda é o único método contraceptivo capaz de impedir a doença.

Outro fator apontado pelos especialistas para justificar o aumento da sífilis foi o desabastecimento da penicilina benzina, principal antibiótico para o tratamento da doença. A escassez do medicamento pode ter contribuído no aumento de nascimento de bebês com sífilis congênita.

Para quem não sabe a sífilis é uma doença infecciosa e sexualmente transmissível causada pela bactéria Treponema pallidum. Ela é transmitida principalmente por meio de relações sexuais sem preservativo (mesmo nas relações orais e anais), nas transfusões sanguíneas e da mãe para o filho (em qualquer fase da gestação ou no momento do parto).

A enfermidade geralmente apresenta quatro fases: primária, secundária, latente e terciária. Os sintomas variam de acordo com cada um dos estágios. Fique atento!

Sífilis Primária: pequenas feridas nos órgãos genitais (chamadas de cancro duro) comentem colo de útero, região de mucosa vulvar, pênis. Desaparecem espontaneamente e não deixam cicatrizes.

Sífilis Secundária: manchas vermelhas na pele, na mucosa da boca, nas palmas das mãos e plantas dos pós, associada a febre, dor de cabeça, mal estar, linfonodos (ínguas) disseminados pelo corpo. Estes sintomas também regridem espontaneamente, no entanto, a doença continua ativa.

Sífilis Terciária: comprometimento do Sistema Nervoso Central, do sistema cardiovascular , lesões na pele e ossos.

Sífilis Congênita: pode causar desde aborto espontâneo até má-formação e morte fetal. Os sintomas aparecem nos primeiros meses de vida: pneumonia, feridas pelo corpo, alterações nos ossos, cegueira de déficit mental.

No entanto, se a mãe começar o tratamento de forma precoce, as chances de contágio para o feto são menores e se houver, os prognósticos de tratamento são melhores e sem graves consequências.

Tratamento:

O tratamento consiste basicamente no consumo da Penicilina em qualquer uma das fases da doença. O que se altera é a quantidade e a forma de aplicação.

Prevenção:

A sífilis é uma doença séria e que pode ter consequências muito graves para o organismo. 

As mulheres devem fazer o exame de sífilis para verificar se são portadoras da doença antes de engravidar!!

É imprescindível o uso preservativos!!

 Caso note algum desses sintomas, procure um médico imediatamente! Com saúde não se brinca! Cuide-se!


Nenhum comentário:

Postar um comentário