terça-feira, 4 de outubro de 2016

SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS: O QUE É, OS SINTOMAS, COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO E O TRATAMENTO!



Recebemos muitos pedidos para falarmos sobre a Síndrome dos Ovários Policísticos no A Endometriose e Eu.  Precisamos saber que uma coisa é o cisto de chocolate, o endometrioma, e outra coisa é a síndrome, conhecida como SOP, e outra são os cistos normais, conhecidos como funcionais. Para falar sobre o que é a síndrome, os sintomas, como é feito o diagnóstico e o tratamento convidei a ginecologista e especialista em endometriose doutora Graciela Morgado. Beijo carinhoso! Caroline Salazar

Por doutora Graciela Morgado
Edição Caroline Salazar

Síndrome de Ovários Policísticos - o que é, quais os sintomas, como é feito o diagnóstico e o tratamento.

No texto de hoje vou falar sobre uma alteração hormonal que causa irregularidade menstrual, podendo levar à infertilidade, a Síndrome dos Ovários Policísticos. Abordarei as causas, os sintomas e os tratamentos mais recomendados para essa patologia.

Em primeiro lugar, é preciso esclarecer a diferença entre Síndrome dos Ovários Policísticos e a presença de folículos no ovário. A mulher em idade reprodutiva apresenta múltiplos folículos em seus ovários, chamados de folículos antrais - que se referem ao grau de fertilidade da mulher. Porém, algumas mulheres apresentam ciclos menstruais irregulares por conta da não ovulação, isto é, o não crescimento destes folículos. 

Nestas mulheres, a presença de ciclos menstruais longos (menstruações a cada 45 dias ou mesmo podendo chegar a cada três meses, algumas mulheres chegam a não menstruar durante um ano) associada a presença de acne, pêlos tipo masculinos em queixo, região entre os mamilos associado ou não à visualização de ovários com múltiplos microcistos em periferia de córtex ovariano (como na imagem) se caracteriza pela Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP). 

A paciente com SOP pode apresentar, além das características discriminadas acima, obesidade, aumento da resistência à insulina, aumento do colesterol, portanto, o tratamento e acompanhamento exige uma equipe multidisciplinar!

Sintomas:

As pacientes portadoras de SOP têm uma característica muito comum de apresentarem ciclos menstruais longos (algumas pacientes chegam a não menstruar durante 1 ano - nos casos graves), muitas dessas pacientes são obesas, porém mesmo aquelas mulheres magrinhas podem ter a Síndrome dos Ovários Policísticos. Portanto todas as mulheres com ciclos menstruais irregulares devem se atentar aos sintomas abaixo:

- Presença de acne intensa, principalmente no rosto (nas bochechas). São mulheres adultas que após pararem o anticoncepcional a pele sempre piora;

- Hirsutismo - presença de pelos com aspecto masculino, principalmente no queixo, região entre os mamilos, na virilha, e no abdômen. São aquelas pacientes que tem que se depilar com frequência, por exemplo a cada 15 dias;

- Dificuldade para engravidar - são aquelas pacientes que não conseguem saber o seu período fértil, pois a menstruação é muito irregular.;

- Obesidade;

- Doenças hormonais associadas, como a diabetes tipo 2, aumento do colesterol.

Diagnóstico:

O diagnóstico da doença geralmente acontece após o exame clínico, a ultrassonografia e exames laboratoriais para identificação da presença do hormônio no sangue. Caso você possua algum desses sintomas, é importante procurar um ginecologista. 

Tratamento:

Por atingir vários setores do organismo, a SOP exige um tratamento diversificado e multidisciplinar, procurando diminuir os sintomas e impedir que novos cistos cresçam, mas sempre levando em conta os desejos e os planos da paciente.

Quando a mulher não tem planos de engravidar, o anticoncepcional oral pode ser uma boa solução para a patologia. Além de amenizar os sintomas, a pílula ajuda a regularizar os hormônios e a manter a doença mais controlada.

As intervenções cirúrgicas só são indicadas em casos extremos em que os ovários aumentam muito de tamanho ou quando os cistos estão muito grandes.

Em alguns casos, a Síndrome dos Ovários Policísticos está associada a alterações na produção de insulina. Dessa forma, medicamentos para diabetes podem ajudar a tratar a síndrome.

O controle da alimentação e a prática regular de atividades físicas também são fatores importantes no tratamento da SOP. Cabe ao ginecologista e à paciente definirem juntos o recurso mais adequado.

Sobre a doutora Graciela Morgado Folador:



Ginecologista e obstetra, Graciela Morgado Folador tem Pós-graduação em Endometriose, em Cirurgia Minimamente Invasiva, em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida e Especialização em Vídeo-histeroscopia. É membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH), da Sociedade Brasileira de Endometriose (SBE) e da Advancing Minimally Invasive Gynecology Wordwide (AAGL). É médica-colaboradora do setor de Endometriose do Hospital das Clínicas de São Paulo, USP. Siga a fanpage da doutora Graciela

Nenhum comentário:

Postar um comentário